Pré-diabetes: cuidados com a saúde evitam o avanço da doença

Criciúma (SC)

A realização de exames frequentes e a visita periódica ao médico são grandes aliados à prevenção das doenças. Por meio deste cuidado é possível detectar doenças que, quando descobertas de forma precoce, podem ser revertidas trazendo mais qualidade de vida e saúde, mesmo após o diagnóstico. Um destes casos é a pré-diabetes.

“A pré-diabetes é um estado de intolerância à glicose leve, que antecede o surgimento do diabetes. Quando surge, a glicemia já está mais alta do que o considerado normal (acima de 100), mas ainda em níveis inferiores a 126. Quando temos duas medidas de glicose acima de 126, fazemos o diagnóstico de diabetes. ”, explica a médica endocrinologista do Hospital São José de Criciúma, dra. Thais Areias de Oliveira (CRM – 23220 | RQE – 19999).

De acordo com a especialista, a causa da pré-diabetes é multifatorial, há fatores genéticos e ambientais envolvidos, como obesidade e dieta rica em carboidratos. “Pode atingir igualmente homens e mulheres e é mais comum o acometimento a partir dos 40 anos. Porém, com a maior prevalência de obesidade, temos visto cada vez mais adultos jovens, adolescentes e até crianças acometidas”, explica dra. Thais.

Sem sintomas na fase inicial

Na fase inicial da doença não há sintomas e é possível que ela dure até cinco anos. “Como não há sintomas, deve-se procurar o especialista em caso de exames de rotina alterados. Ou buscar o especialista em caso de obesidade e sobrepeso, que aumentam muito o risco de desenvolver a doença. O tratamento é individualizado e na maior parte das vezes inclui emagrecimento e/ou mudanças no estilo de vida”, aponta a médica.

Segundo a especialista, a melhor forma de prevenir a pré-diabetes é adotar hábitos saudáveis e manter uma rotina de exercícios físicos. “Sabemos que iniciar uma atividade física, perder 5% do peso corporal e equilibrar a alimentação pode fazer com que a doença entre em remissão. Por isso a importância de manter uma dieta equilibrada, perder peso, promover o tratamento da obesidade e sobrepeso e atividade física”, aponta a médica.

Leia também