Vídeos do projeto 130 anos, 130 histórias são entregues para famílias de Nova Veneza

Nova Veneza (SC)

A Secretaria de Cultura, Esporte e Turismo de Nova Veneza, com o apoio do Centro de Memória e Documentação (Cedoc) da Universidade do Extremo Sul Catarinense (Unesc), produziu ao longo de 2021 o projeto intitulado “130 anos, 130 histórias”, que conta a trajetória de vida das pessoas mais idosas do município. Na noite desta terça-feira (17), as famílias receberam os vídeos que vão preservar a memória dos moradores mais idosos da cidade.

Os historiadores buscaram pessoas de diversas localidades de Nova Veneza, com a ideia de contar a história da Capital Nacional da Gastronomia Típica Italiana, através dos olhares destes cidadãos que muito contribuíram para o crescimento da cidade. São diferentes perspectivas sobre a história de famílias, comunidades e de todo o Sul de Santa Catarina. Todo o trabalho captado vai estar disponível no segundo andar do Museu do Imigrante Cônego Miguel Giacca, não só para visitação, mas como fonte de pesquisa sobre a cidade e a região.

O projeto foi gravado pelos historiadores da Unesc e contou com mais de 100 horas de gravações. “É a força e a coragem do nosso povo em levar a vida adiante apesar das adversidades. E assim Nova Veneza se formou. Queremos mostrar o quanto o nosso povo é herói no dia a dia. Estes homens e mulheres mostraram as suas histórias e também nos trouxeram para nós como que devemos continuar seguindo essa trajetória”, conta a Secretária de Cultura, Esporte e Turismo, Carolina Ghislandi. 

O coordenador do Cedoc da Unesc, Paulo Osório, conta que foi um privilégio produzir este material para Nova Veneza. “Não posso deixar de reconhecer o empenho da Secretária Carol e da prefeitura, que tiveram a sensibilidade de executar um trabalho tão bonito em um momento bem delicado que estávamos vivendo no ano passado, no âmbito da pandemia. As pessoas abriram as suas casas e contaram as suas memórias. O projeto mostrou o que é Nova Veneza, mostrando homens e mulheres que no seu tempo, deram a sua contribuição para deixar a cidade encantadora como é”, comenta o historiador.

“Um povo sem passado é um povo sem memória. Temos que manter viva e acesa a memória de quem fez a história. As pessoas participaram de forma espontânea e agora este legado está eternizado neste material que tem um valor muito alto para a história e as futuras gerações da nossa amada Nova Veneza”, comemora o Vice-prefeito, Élzio Milanez.

Leia também